Conheça as técnicas cirúrgicas para cura do câncer de próstata

295

Quando o resultado da biopsia é positivo para câncer de próstata, o próximo passo é iniciar o tratamento, que se baseia na prostatectomia radical. Trata-se de uma cirurgia para a retirada total da próstata, sendo realizada pelo urologista com intenção de cura. Vale ressaltar que a cura também pode vir através da radioterapia.

O tratamento do câncer de próstata é individualizado, na dependência da idade, doenças associadas e tipo do câncer. “Hoje, dependendo do grau da doença, podemos apenas observar e acompanhar alguns casos devido ao diagnóstico de tumores de crescimento lento e que não ameaçam o bem-estar do paciente”, revela o urologista Hernane Schwartz.

“Por outro lado”, comenta o especialista, “não raramente diagnosticamos pacientes com doença avançada, onde a cura já não é mais possível”. Nesses casos o tratamento é paliativo, realizado pelo oncologista com quimioterapia e bloqueio hormonal para estabilizar o tumor.

Doutor Hernane explica que existem duas principais técnicas cirúrgicas utilizadas para a cura do câncer de próstata. “A cirurgia convencional aberta é a mais praticada em nosso meio e a cirurgia robótica veio como um diferencial promissor no início dessa década, sendo a técnica mais comum nos Estados Unidos e Europa. Um grande estudo recente mostrou que as duas formas de cirurgia trazem a mesma chance de cura e efeitos colaterais, porém, o custo da cirurgia convencional é muito menor e a vantagem da robótica é a alta mais precoce”, compara.

Avanços na instrumentação cirúrgica e progressos nos estudos da anatomia e fisiologia da pele, conforme relata o especialista, permitiram o refinamento da técnica cirúrgica e tornaram possíveis cirurgias menos agressivas e com melhores resultados. Ainda assim, a prostatectomia radical é uma cirurgia muito delicada, pois a próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor e urinário, e algumas sequelas podem surgir.

A boa notícia é que há meios para solucionar esses efeitos colaterais. “Cerca de 50% dos pacientes apresentam algum grau de disfunção erétil; tal dificuldade pode ser corrigida com uso de medicamentos, ou mesmo colocação de prótese peniana, em último caso”, informa o médico. “Outro efeito colateral que pode acontecer em cerca de 15% dos pacientes é a incontinência urinária, ou seja, perda de urina. Em alguns casos a resolução pode vir com fisioterapia e uso de medicamentos; em outros deve ser colocado um esfíncter artificial para segurar a urina”, esclarece.

Ao longo dos anos, o serviço de oncologia do Hospital Evangélico de Cachoeiro vem desenvolvendo um trabalho amplo que abrange pacientes de planos de saúde e do SUS (sistema único de saúde). Esse ano a equipe de urologia especializada em cirurgias oncológicas foi ampliada e conta com três médicos. “Nos últimos quatro anos foram realizadas mais de 1500 cirurgias urológicas, e a tendência é que esse número aumente”, registra o especialista.

#todoscontraocâncer

“Mais um ano o Hospital Evangélico de Cachoeiro inicia a campanha do Outubro Rosa e Novembro Azul com o objetivo de prevenção e combate ao câncer de próstata e mama, lembrando à população da necessidade da realização de exames periódicos e na luta contra o preconceito. Procure seu urologista e ginecologista anualmente para os exames periódicos. Quanto mais cedo o diagnóstico, maiores as chances de cura do câncer”.

 

Dr. Hernane Schwartz atende na rua 25 de março, 33, sala 507 – Shopping Cachoeiro. O telefone para agendamento de consulta é (28) 3036-1467.

 

 

Foto: Erika Medeiros

 



Avatar

A revista Viver! é publicada mensalmente há mais de 17 anos com circulação no Espírito Santo. Trata-se de uma das mais importantes revistas de saúde do Brasil, com centenas de especialistas em prol do dilema "Informação que faz bem".


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *