Diagnóstico precoce aumenta as chances de cura do câncer de boca

24

Dra. Daniella Alochio – Foto por Erika Medeiros

Entre os dias 01 a 07 de novembro é comemorada a Semana Nacional de Prevenção do Câncer Bucal. Mais comum em homens acima dos 40 anos, é o quarto tumor mais frequente no sexo masculino na região Sudeste. “Trata-se de um tumor maligno que afeta lábios, estruturas da boca, como gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo da língua”, revela a cirurgiã-dentista Daniella Alochio.

Infelizmente, a maioria dos casos é diagnosticada em estágios avançados. Os principais sinais que devem ser observados, segundo doutora Daniella, são: Lesões (feridas) na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias, que podem apresentar sangramentos e estejam crescendo; Manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas; Nódulos (caroços) no pescoço; Rouquidão persistente.

Nos casos mais avançados observa-se dificuldade de mastigação e de engolir, dificuldade na fala, sensação de que há algo preso na garganta e dificuldade para movimentar a língua. “Fique atento a esses sinais e a mudanças na coloração ou aspecto da sua boca. No caso de anormalidades, procure um profissional de saúde”, alerta a odontóloga.

No que tange aos fatores de risco que aumentam as chances de desenvolver câncer de boca, a profissional destaca o tabagismo. Quem fuma cigarro ou utiliza outros produtos derivados do tabaco tem risco muito maior de desenvolver câncer de boca e de faringe do que não fumantes. Outros fatores são o consumo de bebidas alcoólicas, exposição ao sol sem proteção (câncer de lábios), excesso de gordura corporal e infecção por HPV (câncer de orofaringe).

Doutora Daniella ressalta, ainda, que a exposição a óleo de corte, amianto, poeira de madeira, poeira de couro, poeira de cimento, de cereais, têxtil e couro, amianto, formaldeído, sílica, fuligem de carvão, solventes orgânicos e agrotóxico está associada ao desenvolvimento de câncer de boca. Os trabalhadores de áreas que lidam com esses elementos, portanto, podem apresentar risco aumentado de desenvolvimento da doença.

É importante ressaltar que o câncer de boca pode ser detectado em fase inicial da doença, o que permite tratamento mais efetivo e cura. É necessário estar atento a qualquer alteração na boca, desde mudanças na coloração até o surgimento de lesões parecidas com uma afta, que não cicatrizem em até 15 dias. Nesses casos, deve-se procurar logo a unidade de saúde para exame da boca por um dentista ou médico.

“Aproveite as consultas com o dentista para tirar dúvidas e, principalmente, relatar qualquer sinal ou sintoma diferente”, orienta a cirurgiã-dentista.

 

Hábitos de prevenção

  • Não fumar;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Manter o peso corporal dento dos limites da normalidade;
  • Manter boa higiene bucal;
  • Usar preservativo (camisinha) na prática do sexo oral.


Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *