Dúvidas comuns sobre a vacina que protege contra a gripe H1N1

519

Existem muitas dúvidas sobre a diferença entre resfriado, gripe comum e gripe H1N1. Segundo o alergista da Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro, doutor Bruno Bastos Chaves, o resfriado comum é o menos grave. Geralmente causado pelo rinovírus, causa febre baixa, pouca coriza, dor de garganta leve e pouco comprometimento do estado geral. Já a gripe comum e a gripe H1N1 são mais graves.

Conforme explana o especialista, existem pessoas que são mais vulneráveis a complicações e são prioridade em campanhas de vacinação. Trata-se do chamado grupo de risco, a saber: Idosos acima de 60 anos, gestantes, diabéticos, cardiopatas, pacientes com câncer, Aids, problema renal crônico e doença pulmonar crônica. Crianças abaixo de cinco anos e pessoas com imunidade comprometida também se enquadram, como indígenas e população carcerária.

Falando dos mitos sobre a gripe H1N1, doutor Bruno destaca o fato dela ser pega por ingestão de carne de porco. “É importante esclarecer que o contágio por H1N1 é dado somente pelo ar e por gotículas de saliva”, ressalta.

Outra dúvida frequente, de acordo com o alergista, é se a pessoa gripada pode se vacinar. “Pode sim, desde que não esteja com febre, a vacina é bem-vinda para evitar complicações futuras”, informa. “No caso de mulheres grávidas, a vacina é recomendada, pois a gravidez altera a imunidade e é importante se prevenir”, finaliza o médico.

Foto: Felipe Moura



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *