Entenda a relação entre a saúde cardiovascular e a Covid-19

19

 

Dr. Gilberto Dian  de Almeida – Foto por Erika Medeiros

Pacientes com doenças crônicas cardiológicas estão entre os que mais apresentam formas graves da Covid-19, correspondendo a 40% dos casos. Dos casos fatais, 33% tinham alguma doença cardiovascular associada a outro fator de risco, como Diabetes ou Obesidade, e 7% tinham apenas doença cardiovascular isolada.

“Os pacientes com doenças cardiovasculares têm uma certa inflamação crônica nas artérias (vasos sanguíneos) e a Covid provoca uma grande inflamação no corpo, fazendo com que esses quadros se agravem com Miocardites, Insuficiência Cardíaca e arritmias”, explica o cardiologista Gilberto Dian de Almeida. “Além de sobrecarregar o coração quando apresentam complicações em outros órgãos tais como rins, pulmões e fígado – e o famigerado Tromboembolismo”, completa.

O especialista chama a atenção a um detalhe importante: independentemente da idade, pacientes jovens que não sabem que possuem problemas cardíacos podem ter complicações e devem ser avaliados.  

Falando sobre problemas cardiovasculares que têm sido observados em pacientes recuperados da Covid-19, doutor Gilberto relata: “Podemos observar, naqueles pacientes que tiveram formas moderadas ou graves da Covid, complicações tardias tais como Insuficiência cardíaca, Arritmias, Miocardite, Insuficiência Coronariana, Micro infartos por Microembolismos e Edema Pulmonar Agudo. Todas essas situações têm potencial de complicações, podendo levar a eventos graves e até fatais”.

Dessa forma, existem sinais que as pessoas que se curaram da Covid devem estar atentas no que diz respeito ao coração. “Em primeiro lugar, todas as pessoas que tiveram Covid e que têm alguma doença cardiovascular devem procurar o cardiologista antes de retornar às suas atividades normais – mesmo que estejam sem sintomas”, aconselha.

Conforme salienta o cardiologista, o período de 70 até 90 dias pós Covid é o mais crítico. E todas essas pessoas quando apresentarem qualquer sinal ou sintoma que desperte sua atenção ou provoque algum desconforto, devem procurar um profissional – ressalta. “Esses sinais podem ser: dor no peito aos esforços, batimentos cardíacos irregulares, disparos no coração, respiração curta, perda de capacidade física para fazer esforços que fazia bem antes, entre outros”, enumera.

 

Faça um check-up

 

Conforme orienta doutor Gilberto, todos os pacientes que tiveram formas moderadas ou graves da Covid-19, antes de retornar às suas atividades normais de trabalho ou exercícios físicos, devem ser avaliados pelo cardiologista. Mesmo sem apresentar sintomas. Aqueles que são do grupo de risco, com as comorbidades citadas, devem fazer isso obrigatoriamente, sob risco de terem complicações sérias e até fatais após alguns meses. O acompanhamento regular é importante para manter a rotina de cuidados médicos daqueles pacientes já diagnosticados.



Jessica Castelo

Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *