Especialista em doenças de mama alerta sobre diagnóstico precoce

44

Dr. Watson Vieira – Foto por Erika Medeiros

Segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres brasileiras, o câncer de mama está atrás apenas do câncer de pele. Apesar de ser o segundo mais comum, é o que causa mais mortes por câncer em mulheres. Segundo o Inca, estima-se que 66.280 novos casos foram registrados em 2022.

Vale ressaltar que o médico mastologista é o especialista em tratar as doenças da mama. Isso envolve quaisquer condições que possam afetar os seios, como dores, inchaços, infecções, além, claro, do câncer de mama. A consulta de rotina, conforme orienta o mastologista, obstetra e ginecologista Watson Viana Vieira, deve ser anual e é a primeira etapa para a detecção precoce da doença.

“Nela fazemos a anamnese da paciente e depois prosseguimos para o exame clínico das mamas por meio do toque”, explica doutor Watson. “Caso seja encontrada alguma irregularidade, seguimos com diagnóstico, tratamento e cirurgia, dependendo de cada caso”, completa.

O especialista reforça que a mamografia é o exame mais eficaz para a detecção do câncer de mama de forma precoce, e não deve ser realizada só quando já existe a suspeita da doença. “A partir de 40 anos é recomendado que a mamografia seja realizada como rotina anualmente. Entretanto, se a mulher possui casos de câncer de mama na família, esse rastreamento não segue a mesma regra e deve ser individualizado, conforme orientação do Mastologista”, orienta.

O autoexame das mamas é uma medida importante, e deve ser realizado por todas as mulheres a partir dos 20 anos de idade. O mastologista recomenda que seja feito, preferencialmente, sete dias após o início da menstruação. O autoexame consiste, basicamente, nas mulheres apalparem seus próprios seios com os dedos.

“Em pé, os movimentos devem ser feitos no sentido anti-horário de fora para dentro, até chegar no mamilo, a fim de identificarem irregularidades, dentre elas: nódulo palpável, sinais de inflamação, aumento assimétrico de uma das mamas, dor, secreção saindo dos mamilos ou retração”, explica o médico. “Em qualquer um destes casos o mastologista deve ser procurado imediatamente”, enfatiza.

Quando tratado precocemente, o câncer de mama possui grandes chances de cura. “Infelizmente, a maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres, o que pode não ser favorável ao tratamento, visto que encontrar um nódulo palpável no autoexame já pode ser um diagnóstico tardio do câncer, se o nódulo for maligno”, revela o especialista. Portanto, o autoexame a partir dos 20 anos, o check-up anual e a mamografia de rotina para mulheres acima de 40 anos são primordiais para um bom prognóstico.

 

Outubro Rosa

“As campanhas de conscientização são sempre importantes, pois deixam o assunto em evidência no dia a dia, lembrando as mulheres de realizar as consultas e exames periódicos. Além disso, a campanha é importante também para aquelas mulheres que já receberam o diagnóstico positivo de câncer. É um tempo de acolhimento e empatia”, declara doutor Watson.

 

O Instituto AMI está localizado na Rua Konrad Adenauer, 9, Gilberto Machado – Ed. Milos (Sala 602) – Cachoeiro de Itapemirim. Telefone: 28 99942-7443. Instagram: @drwatsonvianavieira e @draliviatambara.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *