Especialistas enumeram benefícios do café para nossa saúde

216

Jessica Castelo

jessica@editoraviver.com.br

 

“Aceita um cafezinho?”. Essa é uma das frases mais ouvidas no mundo inteiro. Seja para começar bem o dia, dar uma pausa entre compromissos de trabalho, passar o tempo enquanto se espera por um atendimento ou simplesmente bater um bom papo com os amigos, o fato é que o café está presente na vida da grande maioria de nós e tomá-lo virou tradição. Trata-se de um ato milenar, um hábito que tem o poder de aproximar as pessoas e apaziguar os ânimos.

Quer uma ótima notícia? O líquido adorado que está presente em tantas ocasiões, além de saboroso, faz muito bem para a saúde. O café pode ser um aliado na prevenção de diversas doenças, ajuda na digestão e até rejuvenesce. Quando consumida diariamente em quantidades moderadas, a bebida só traz benefícios, os quais são comprovados cientificamente.

 

AJUDA A EMAGRECER

Falando sobre as propriedades do café, a nutricionista Andressa Cordeiro relata que é fonte de diversos nutrientes. Além da cafeína, possui as vitaminas do complexo B, magnésio, potássio, zinco, ferro e é fonte de antioxidantes. “A cafeína, em especial, é termogênica e estimula a queima de gordura, ajudando no emagrecimento”, aponta. A nutricionista aconselha a ingestão da bebida sem adição de açúcar, aliada a uma reeducação alimentar e exercícios físicos para potencializar a perda de peso.

 

 

Otimiza a concentração e melhora o humor

Por ser rico em antioxidantes, o café otimiza a concentração das pessoas que o usufruem, fazendo com que as mesmas fiquem mais ativas. Segundo a psicóloga Marinea Telles, a bebida ajuda a aliviar o estresse e melhora o humor. “Desde os primórdios, o convite para um café é um momento de descontração e ao mesmo tempo uma forma de relaxar”, comenta.

Conforme salienta a psicóloga, para o indivíduo que vive na correria do dia-a-dia, um convite para um cafezinho é também o momento em que se permite dar uma pausa para poder não somente saborear um delicioso café, mas, ao mesmo tempo, degustar de alguns momentos de imenso prazer pessoal. “E estar atento ao nosso bem-estar é suscitar em nós, cada vez mais, um olhar para o que nos faz bem”, conclui.

 

 

Café também auxilia na

prevenção do câncer

Na década de 90, a OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou o café como possivelmente cancerígeno. Diversos estudos, entretanto, provaram que muito pelo contrário, a bebida é uma grande aliada na prevenção do câncer. Assim, a bebida foi retirada da lista da OMS. “A cafeína é um grande estimulante do sistema nervoso central. O principal segredo, entretanto, é que o café possui uma enorme quantidade de polifenóis antioxidantes”, ressalta o cirurgião oncológico e mastologista Anderson Zerbone.
O especialista explica que entre os mais de 1.000 compostos do café, muitos contêm propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, o que protege o organismo contra várias patologias. “O seu uso regular (quatro xícaras por dia) diminui em 26% as chances de câncer colorretal”, expõe, acrescentando que um grande estudo de 2016 publicado no jornal Europeu de Epidemiologia evidenciou que o uso de café está associado a um menor risco de mortalidade, incluindo mortes por doenças cardíacas e câncer.

De acordo com a oncologista Sabina Aleixo, que abrilhanta nossa capa, além do câncer colorretal, o café foi apontado como benéfico na prevenção do câncer de mama, fígado, cabeça e pescoço. “Houve uma relação de diminuição de incidência do câncer em estudos recentes publicados pela American Cancer Society”, revela doutora Sabina.

 

Prevenção e tratamento

de doenças neurológicas

 

É fato que a pesquisa em neurologia tem avançado muito nas duas últimas décadas. Mas apesar de tanto desenvolvimento tecnológico, as descobertas nas coisas simples do nosso dia a dia, como as plantas e frutas, ainda fazem parte do tratamento de doenças neurológicas – revela o neurologista Ricardo Miranda.

“Um exemplo intrigante é o café – sim, esse que tomamos no nosso dia-a-dia. Estudos recentes demonstraram que o consumo moderado (2 a 4 xícaras por dia) diminui a chance de desenvolvermos Alzheimer”, revela doutor Ricardo. “Além disso, ele pode melhorar os movimentos dos pacientes com doença de Parkinson, além de aliviar o estresse, o grande mal da atualidade”, aponta.

Uma pesquisa realizada pela Universidade do Sul da Flórida e da Universidade de Miami monitorou os processos de memória e pensamento de 124 pessoas com mais de 65 anos e descobriu que aqueles que tiveram níveis mais elevados de cafeína no sangue evitaram o aparecimento do Alzheimer. Vale ressaltar que o café parecia ser a principal ou única fonte de cafeína para esses indivíduos.

 

 

Pele bonita e rejuvenescida

Os benefícios do café podem ser sentidos na pele, literalmente. A dermatologista Martha Proença destaca que o extrato de café verde tem sido muito utilizado pelas suas excelentes propriedades antioxidantes em formulações para rejuvenescimento, melhora da celulite e até flacidez da pele. “Mas é preciso lembrar que são formulações que fazem estes ativos penetrarem na pele. O que não ocorre quando se esfrega o grão de café, ou a borra ‘in-natura’”, orienta.

A especialista alerta para a esfoliação com borra de café, que apesar de muito popular, pode tornar a pele sensibilizada e suscetível a inflamações, alergias e até mesmo piora da acne. Isso porque a substância é muito abrasiva. “Se for para utilizar, é preferível aplicar a borra de café sobre as partes do corpo que têm a pele mais resistente, como glúteos e coxas”, aconselha. Enfim, a dica é sempre conversar com deu dermatologista e saber o que funciona, de fato, para você!

 

Café protege o

CORAÇÃO

Consumo regular da bebida, de forma moderada,

reduz em 19% risco de desenvolver doença cardíaca

 

Pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard (HSPH) constataram que beber uma ou duas xícaras de café diariamente pode ajudar a proteger contra a insuficiência cardíaca em até 11%. Além disso, um estudo publicado no British Medical Journal e conduzido na Faculdade de Medicina de Southampton, Reino Unido, aponta que o consumo de três ou quatro xícaras diariamente está associado a uma menor probabilidade de desenvolver problemas cardiovasculares como ataques do coração e AVC. Se comparados aos que não bebem café, o risco de desenvolver doença cardíaca para os que consomem regularmente a bebida é 19% menor. No caso de morte por AVC, o risco chega a ser 30% menor.

Conforme salienta o cardiologista Gilberto Dian, o uso de até três xícaras de café coado ou uma xícara de café expresso por dia tem efeitos protetores diretos no coração e alguns outros efeitos que colaboram para ajudar a função cardíaca. “Por ser rico em antioxidantes que têm ação anti-inflamatória nas células, ele aumenta o colesterol bom (HDL) e diminui o ruim (LDL)”, informa.

Ainda segundo o especialista, o café também diminui a resistência à insulina e reduz o risco de infarto. “Por tabela, ajuda na perda de peso, melhora a disposição física para se fazer exercícios e combate a depressão. E todos estes são fatores que ajudam na saúde cardiovascular”, completa.

 

Estimula a digestão

Tomar aquele cafezinho depois do almoço vai muito além de um simples hábito. Trata-se de uma sabedoria popular que, pelo visto, tem fundamento. A gastroenterologista Alzimara Hemerly explica que o café estimula a secreção de suco gástrico, por isso ajuda no processo da digestão. Dessa forma, para a maioria das pessoas, tomar a bebida após a refeição é muito bem-vindo.

Quem têm gastrite, úlcera e refluxo gastroesofágico, no entanto, precisa ter cuidado, pois podem ter os sintomas piorados pelo aumento do suco gástrico. “Na presença de sintomas como azia ou queimação no estômago deve-se procurar o médico para ser avaliado quanto à necessidade de realizar exames complementares como a endoscopia”, indica doutora Alzimara.

 

 

 

MELHORA A VISÃO      

Duas ou três xícaras de café por dia protegem as células da retina. Esta é a conclusão de um estudo realizado por cientistas das universidades de Coimbra (Portugal) e de Bona (Alemanha). O estudo, liderado por Ana Raquel Santiago, pesquisadora no laboratório Retinal Dysfunction and Neuroinflammation da Faculdade Medicina da Universidade de Coimbra, foi realizado em modelos animais (ratos) e desenvolvido em duas fases, tendo sido publicado na Cell Death and Disease.

Principalmente por seu efeito estimulante, o café é uma das bebidas mais apreciadas no mundo. E vale lembrar que a bebida também possui efeito antioxidante, o que tem sido apontado em estudos recentes. De acordo com o oftalmologista Eduardo Abib, a retina é um dos tecidos mais metabolicamente ativos, necessitando de elevados níveis de oxigênio, tornando-a propensa ao estresse oxidativo.

“Dessa forma, o consumo moderado de café impede, em partes, a produção de radicais livres e melhora a perfusão retiniana, protegendo-a”, revela o especialista, explicando ainda que outra ação está no Blefaroespasmo primário, quando a pálpebra “treme” involuntariamente. “Apesar do café não curar a doença, ele pode atrasar o seu desenvolvimento! Lógico, tudo sempre com moderação!”, conclui.

 

Upgrade na

eficiência

do treino

Você sabia que tomar café pode melhorar bastante seu rendimento no treino – seja na musculação, corrida, natação ou outra atividade física? Isso porque o café tem como princípio ativo a cafeína, que é um neuroestimulante. “Por conta disso, a bebida otimiza a eficiência do treinamento, pois melhora a produção de energia diminuindo a fadiga e o cansaço”, esclarece o fisioterapeuta e educador físico Alex Rodrigues.

Além disso, o profissional enfatiza que o famoso cafezinho pode aumentar a concentração e vigília e ajuda na mobilização de substrato de energia. Doutor Alex ressalta sobre a importância da moderação e orienta aos hipertensos e portadores de arritmias cardíacas que conversem com seu médico para evitar certos problemas com o consumo da cafeína.

 

 

Benefícios

à memória

Indo mais além, doutor Ricardo Miranda menciona que há dados na literatura científica que indicam o poder do café na memorização. De fato, estudos realizados na Universidade Johns Hopkins concluíram que duas xícaras diárias de café podem trazer benefícios incríveis para a memória de curto a longo prazo.

O neurologista relata também que o líquido ajuda a aumentar a atenção, o que nos torna mais alertas diminuindo o índice de acidentes automobilísticos. Nesse sentido, numa pesquisa realizada pela The George Institute, da Universidade de Sydney, os motoristas que consumiam a substância eram 63% menos propensos a causar um acidente do que aqueles que não a ingeriam. “Devemos apenas ressaltar, entretanto, que o uso em excesso não é aconselhável, pela possibilidade de efeitos adversos, como dor de cabeça, insônia e palpitações”, menciona.

 

 

 

Café das montanhas

CAPIXABAS

Qualidade da bebida é essencial

 

Vamos combinar: além de uma boa preparação, a qualidade do café é essencial para que a experiência seja realmente agradável. E para os amantes da bebida, a boa notícia é que não é necessário ir muito longe para encontrar um café de altíssima qualidade. Conquistando a mesa dos capixabas, o Café Liberdade é proveniente de nossas próprias montanhas – local onde se produz os melhores cafés especiais do Espírito Santo.

Segundo Eduardo Págio Melo, degustador e classificador de café atuante no ramo de cafés especiais, o que se destaca nos cafés produzidos nas regiões montanhosas do Estado é a acidez marcante, prazerosa e distinta das demais regiões produtoras de cafés no Brasil. O Café Liberdade está disponível em duas edições: O especial e o extraforte.

Falando sobre a produção do Café Liberdade especial, Eduardo explica que o mesmo é feito do café cereja e passa pelo processo de despolpa, onde é feita a retirada dos grãos boias e verdes. O café permanece em tanques de fermentação por 12 horas, onde são secados em terreiros cobertos ou secadores rotativos e armazenados em pergaminho, aguardando o descanso em tulhas de armazenamento até sua limpeza ou benefício para venda. “Possui características de melado de cana, aroma de chocolate, acidez equilibrada, Café fino, suave e agradável para quem gosta de tomar sem açúcar”, indica.
Referente ao extraforte, o especialista relata que se trata de um blend de arábica natural cereja e robusta de qualidade. Seu processo de secagem é natural, isto é, após a colheita do grão, o mesmo é levado para secar no terreiro de café. “É importante frisar que o extraforte possui notas frutadas e de chocolate com finalização encorpada”, descreve. O expert ressalta, ainda, que os cafés Liberdade se diferenciam dos demais pelo seu sabor, aroma e pureza. E então, vai aí um cafezinho?



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *