Evitar tocar olhos e limpar óculos ajuda a prevenir a Covid-19

57

Uma das principais medidas para se prevenir do novo Coronavírus, como tem sido bem reforçado, é não tocar boca, nariz e olhos. Afinal, o vírus pode pegar carona nas nossas mãos e adentrar às mucosas, que são uma porta de entrada para o nosso corpo. Falando em especial sobre os olhos, o oftalmologista Paulo Ney Viana Filho, da clínica Cemes, explica que a contaminação acontece através de uma membrana chamada conjuntiva.

Segundo o IBGE, 19% da população brasileira sofre de alguma deficiência visual. Portanto, os óculos de grau estão presentes na vida de milhões de pessoas. Além disso, o apetrecho faz parte dos EPIs (equipamentos de proteção individual) dos profissionais de saúde no enfrentamento ao Covid-19. Em meio ao avanço do novo Coronavírus, além da higiene das mãos, o cuidado com itens pessoais – incluindo os óculos – deve ser redobrado.

A maneira mais comum e eficaz de se higienizar os óculos, conforme orienta doutor Paulo, é com água e sabão. Quem utiliza o acessório no dia-a-dia provavelmente já possui esse hábito, que deve ser reforçado nesse momento de pandemia. O uso de álcool não é recomendado, pois pode danificar o material da armação e os revestimentos das lentes.

Sabe aquele lencinho que costuma vir na caixa dos seus óculos? Na condição atual, ele é contraindicado, pois pode se tornar fonte de contaminação. O passo a passo, para garantir a higienização adequada do acessório, é o seguinte: Despeje um pouco de detergente neutro em cima da lente; esfregue as lentes com a mão limpa; enxague na pia com água corrente em abundância; seque com papel toalha ou lenço de papel seco; pressione o papel sobre as partes interna e externa da lente, sem esfregar; esfregue na haste até a ponta, secando dobras e parafusos. Pronto, seus óculos estão limpos e seguros para o uso!

Covid-19 e conjuvitite

Estudos sugerem que o novo Coronavírus infecta a conjuntiva e causa conjuntivite. Num estudo publicado na New England Journal of Medicine, foi documentada congestão conjuntival em nove de 1099 pacientes (0,8%) com confirmação laboratorial de 30 hospitais na China.

Conforme menciona doutor Paulo Ney Viana, de fato nota-se que alguns pacientes com Covid-19 podem desenvolver um quadro de conjuntivite viral. “A Academia Americana de Oftalmologia revelou que o tratamento com altas doses de Hidroxicloroquina por tempo prolongado pode causar macropatia”, explica.

Os sintomas da conjuntivite por Coronavírus, assim como em uma conjuntivite viral comum, são ardência, sensação de “areia” nos olhos e secreção. A tendência, de acordo com o oftalmologista, é que o quadro melhore natural e gradativamente, com o auxílio do uso diário de lubrificante ocular para aliviar os sintomas.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *