Implante Migs é nova alternativa para o glaucoma

368

Sabe-se que o glaucoma é uma doença que causa cegueira irreversível em milhares de pessoas todos os anos no mundo. A principal causa dessa cegueira é o aumento da pressão intraocular. Surgindo como uma nova opção de tratamento para o glaucoma, a Migs é uma nova técnica cirúrgica minimamente invasiva, na qual utiliza-se micro stents como alternativa para redução da pressão intraocular.

De acordo com o oftalmologista Flávio Hemerly Abreu, da clínica Cemes, esses implantes permitem um controle melhor da pressão ocular, podendo reduzir o número de colírios utilizados, ou mesmo retirar totalmente a medicação. “É também uma alternativa ainda mais relevante para aqueles pacientes com intolerância aos colírios, ou não controlados com uso das medicações hipotensoras oculares”, aponta.

Doutor Flávio salienta que o Migs é considerado o menor implante utilizado no corpo humano. “Ele mede cerca de um milímetro de comprimento, sendo praticamente imperceptível a olho nu e não sendo possível outra pessoa observá-lo no olho do paciente sem um equipamento especializado”, explica.

Conforme explana o especialista, os Migs mais utilizados no Brasil e internacionalmente são o Istent e Inject, sendo mais de 300 mil destes já implantados no mundo. “Eles são confeccionados com titânio não ferromagnético, o que permite que o paciente portador do implante possa realizar exames como a ressonância magnética sem problemas”, ressalta.

Rápida e indolor

Segundo doutor Flávio, os Migs podem ser implantados no momento da cirugia de catarata ou em um procedimento isolado. A cirurgia pode ser realizada em poucos minutos com muita segurança e sem dor.

“Vale ressaltar que a Cemes é a única clínica no Sul do estado a oferecer essa nova técnica como opção terapêutica segura e eficaz, e já aprovada pela Anvisa e FDA (órgão regulatório americano), como opção para tratamento de glaucoma de ângulo aberto leve a moderado”, expõe o oftalmologista.

Foto: Jonathan Lessa



A revista Viver! é publicada mensalmente há mais de 17 anos com circulação no Espírito Santo. Trata-se de uma das mais importantes revistas de saúde do Brasil, com centenas de especialistas em prol do dilema "Informação que faz bem".


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *