Mandíbula estalando e dor de cabeça estão entre sintomas da DTM

16

Dr. Matheus Scherrer – Foto por Jonathan Lessa

Problemas crônicos na ATM costumam ser classificados como Disfunção da Articulação Temporomandibular (DTM), também chamada de dor orofacial. Aqui, estão incluídos sintomas como mandíbula estalando, dores de cabeça frequentes e até mesmo dificuldades para abrir e fechar a boca. “Embora seja um quadro comum, esse transtorno é pouco conhecido e, por isso, pode demorar a ser identificado”, revela o ortodontista e especialista em ortopedia funcional dos maxilares Matheus Scherrer.

Conforme relata doutor Matheus, por se tratar de uma doença ainda pouco conhecida, em muitos casos, não foram encontradas claramente as causas para a DTM. “Acredita-se que estes podem ser alguns dos fatores relacionados ao desenvolvimento de disfunções na ATM: traumas na mandíbula; artrite na ATM; má postura; características anatômicas, relacionadas à formação da mandíbula durante o nascimento”, enumera.

Além disso, conforme relata o especialista membro efetivo da Sociedade Brasileira de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial, hábitos como morder os lábios ou bochechas, bem como apoiar a mandíbula nas mãos, morder pontas de caneta e roer as unhas estão entre as possíveis causas. Distúrbios do sono, dificuldade de dormir e estresse também são apontados como fatores de risco.

O especialista ressalta ainda o bruxismo – caracterizado pelo ranger involuntário dos dentes – que também pode estar relacionado ao surgimento dos problemas na ATM.

“Como a DTM pode ter diferentes causas e feitos sobre o corpo, há diferentes maneiras de tratar o problema, como abordagens odontológicas e fisioterápicas”, aponta.

Ainda nesse sentido, é recomendado que o processo seja multidisciplinar: O cirurgião dentista especialista em disfunção temporomandibular e dor orofacial deve comandar o tratamento, mas sempre que possível deve ter uma abordagem multidisciplinar. Há, inclusive, alterações hormonais que podem influenciar no tratamento – expõe o odontólogo. “Dependendo das suas queixas, o processo pode incluir profissionais como psicólogos, fonoaudiólogos, endocrinologistas e até mesmo neurologistas”, elucida.

Os tratamentos para os transtornos na ATM, de acordo com doutor Matheus, incluem: fisioterapia; cirurgia; acompanhamento psicológico; exercícios para relaxamento muscular; compressas para controlar a dor durante crises; aparelhos específicos para o tratamento de DTM e medicamentos, principalmente anti-inflamatórios.



Jessica Castelo

Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *