Número de casos de infecção urinária aumenta no verão

21

Dr. Guilherme Abib – Foto por Jonathan Lessa

A infecção urinária e a cistite são doenças comuns, que afetam principalmente mulheres. Estimativas indicam que metade das mulheres já sofreram ou ainda vão sofrer com a infecção no trato urinário. Os principais sintomas, de acordo com o urologista Guilherme Abib, são: ardência e/ou dor ao urinar, vontade de fazer xixi toda hora, normalmente associada a baixo volume urinário e desconforto em baixo ventre. Odor forte e sangue na urina também podem estar associados.

Segundo doutor Guilherme, a infecção urinária pode ser decorrente de vários fatores, mas normalmente está associada a baixa ingesta de líquidos, ao hábito de não ir ao banheiro regularmente, segurando o xixi por longo período. “O problema também pode ocorrer após as relações sexuais, pois a fricção entre os órgãos genitais pode favorecer a instalação de bactérias no trato urinário”, explica.

Outros fatores de risco para a infecção urinária, conforme elucida o especialista, são a constipação intestinal – a prisão de ventre permite a proliferação bacteriana, que pode acabar afetando o trato urinário -, gravidez e menopausa. “Fatores como higiene inadequada da área genital, questões hormonais, diabetes, imunodepressão e obstrução dos canais pelos quais a urina passa (pedra nos rins, por exemplo) também podem causar a doença”, relata.

No verão há um aumento significativo do número de casos de infecção urinária. Segundo o urologista, isso está atrelado principalmente à perda de líquidos devido às altas temperaturas da estação. “O calor faz com que a perda de líquidos pela transpiração seja maior e as pessoas urinam em menor quantidade e menos vezes ao dia, o que favorece a multiplicação de bactérias no interior da bexiga”, explica.

A prevenção nesse tipo de caso é o aumento da ingestão de líquidos. De acordo com o médico, o próprio fluxo da urina funciona como um dos mais importantes mecanismos de proteção contra a infecção. Vale ressaltar que o uso prolongado de biquínis também favorece a proliferação local de germes oportunistas.

Ao notar os primeiros sintomas, é essencial buscar ajuda médica. Assim que identificada a cistite como uma causa bacteriana, normalmente através de exame de urina, o antibiótico é o melhor tratamento – argumenta doutor Guilherme. “A importância do tratamento precoce é evitar a ascensão da bactéria pelo trato urinário alto (rim), tendo consequência a temida pielonefrite aguda (infecção renal)”, aponta.

 

Previna-se

  • Hidrate-se. Beber em média dois litros de água por dia ajuda a “lavar” o trato urinário;
  • Evite segurar o xixi, ficando sem urinar por longos períodos;
  • Urine sempre após as relações sexuais;
  • Higienização correta dos órgãos genitais é essencial: ao usar papel higiênico, comece pela região vaginal, indo em direção ao ânus;
  • Dê preferência para roupas íntimas de algodão em vez de tecidos sintéticos;
  • Cuide da sua imunidade com uma alimentação saudável;
  • Busque regularizar o ritmo intestinal para evitar a constipação intestinal.


Jessica Castelo

Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *