Ortopedista dá três dicas práticas para diminuir a dor no ombro

82

Dr. Arthur Beber – Foto por Jonathan Lessa

Tomar banho, vestir-se, escovar os dentes, pentear os cabelos. A lista de tarefas desempenhadas com a ajuda da articulação mais flexível do corpo humano – os ombros – é imensa. E quando a dor se instala nessa região, todo o nosso cotidiano é prejudicado. Vale ressaltar que a dor no ombro é bastante comum e se encontra em terceiro lugar nas queixas mais frequentes de consultórios ortopédicos. Cerca de 16 a 26% da população é acometida por esse incômodo todos os anos.

É importante lembrar que a dor nos ombros geralmente é um sintoma de doenças ortopédicas, lesões, entre outros problemas e merece investigação. Portanto, procurar um ortopedista para fornecer o diagnóstico e tratamento adequados é essencial. Mas algumas medidas complementares também podem ajudar a reduzir a dor, conforme orienta o ortopedista Arthur Beber Machado, especialista em cirurgia do ombro e cotovelo na clínica Ortotrauma.

Dica 1: De pé, com a coluna lombar bem encaixada e o abdômen contraído, abra e feche os braços, acompanhando a linha lateral do corpo. Mantenha a palma da mão para baixo e não ultrapasse a altura da linha do ombro. Faça três séries de dez repetições com cada braço.

Dica 2: De pé, posicione-se de costas para o batente de uma porta. Apoie a mão no batente, voltando o braço para trás e mantendo o cotovelo bem esticado. Em seguida, faça um movimento suave no sentido contrário ao do braço, sentindo alongar a musculatura medial. Faça três repetições de 30 segundos em cada braço.

Dica 3: Mantendo a posição de pé, deixe o braço que será alongado posicionado junto ao tronco, bem acima do peitoral. Com o outro braço, você faz uma pressão no sentido do próprio corpo, sentindo alongar a parte lateral do ombro.

 

Dor pior à noite?

Se você encontra dificuldades em achar uma posição para dormir e sente que sua dor no ombro piora nesse horário, saiba que estes são sintomas comuns para quem tendinite no ombro – revela doutor Arthur. “A patologia ocorre por falta de estabilização articular gerada por alguns músculos específicos, gerando um desequilíbrio de vetor de força e a diminuição do espaço articular do ombro e tendões que podem estar inflamados”, explica.

Conforme explana o especialista, quando deitamos o espaço articular é reduzido por não ter ação da gravidade, tracionando o braço e comprimindo as estruturas articulares que estão inflamadas; por isso o ombro fica mais dolorido ao deitar.

As dicas do ortopedista, nesse caso, são: Durma de lado e coloque um travesseiro entre o braço e o tronco ao deitar; faça compressa de gelo (20 minutos) antes de dormir; e faça fisioterapia para melhoras dos sintomas em geral.



Jessica Castelo

Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *