Proteção adequada é essencial para evitar danos à pele no verão

16

Dra. Fernanda Loss

Verão é sinônimo de muito mais exposição ao sol. Por isso, os cuidados com a pele nessa estação devem ser redobrados. Conforme alerta a dermatologista Fernanda Loss, o sol é um dos grandes vilões do colágeno. “Sua radiação ultravioleta (UV) quebra as fibras de colágeno, gerando flacidez na pele do rosto e do corpo”, explica.

Além disso, queimaduras solares aumentam o risco de melanoma, um câncer de pele com alta mortalidade. “Inclusive, queimaduras solares na infância aumentam o risco de melanoma na idade adulta. Também há maior chance de cânceres de pele não melanoma, piora do Melasma, manchas na pele, envelhecimento precoce, entre outras consequências da exposição solar sem proteção adequada”, relata a especialista.

A médica salienta que pacientes portadores de doenças fotossensíveis (sensíveis ao sol) como Lúpus, portadores de vitiligo, pessoas albinas, com história prévia de melanoma, ou que possuem algum parente que teve melanoma devem redobrar os cuidados. Pessoas que realizaram alguma cirurgia pelo risco de escurecimento das cicatrizes também.

“Nessa época não indicamos a realização de alguns procedimentos como peelings profundos e alguns tipos de lasers, poque a pele não pode estar bronzeada pelo risco de queimaduras”, orienta doutora Fernanda. “Use protetor solar frequentemente, evite a exposição solar entre as 10 e 16 horas, devido a maior incidência dos raios UVB, use chapéu, óculos de sol, roupas de proteção UV, principalmente para crianças e beba bastante água”, recomenda.

 

O uso correto do protetor

A quantidade de protetor solar é muito importante. A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda uma colher de chá para rosto e pescoço, uma colher de chá para cada braço, uma colher de chá para a parte anterior do tórax e uma para a parte posterior. Uma colher de chá para cada parte anterior da perna e uma colher de chá para cada parte posterior. O filtro solar deve ser reaplicado a cada duas horas, ou sempre que se molhar ou apresentar sudorese intensa.

Para peles oleosas, indica-se protetores Oil free (livres de óleo). Para peles sensíveis ou com rosácea o ideal é usar protetores minerais; para pacientes com melasma, sempre protetores com cor. Vale ressaltar que apenas o médico dermatologista saberá indicar a melhor opção para cada tipo de pele.

 



Jessica Castelo

Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *