Síndrome do trato iliotibial afeta principalmente esportistas

149
Dr. Saulo Blunck – foto por Erika Medeiros

Lesão inflamatória aguda, a Síndrome do trato iliotibial (TIT) acomete principalmente atletas que praticam esportes envolvendo flexões repetidas dos joelhos. Conforme explica o ortopedista Saulo Blunck, do Instituto do Joelho, o trato iliotibial é uma banda de tecido fibroso encontrada na parte lateral da coxa se estendendo até a tíbia. “É o ponto de inserção de importantes músculos do quadril”, ressalta.

De acordo com o especialista, essa síndrome pode ocorrer em virtude da sobrecarga na região durante atividades como corrida, caminhadas, ciclismo, dentre outras. Vale ressaltar que se trata de uma das lesões mais comuns em joelhos de esportistas. “Geralmente, durante atividades esportivas pode ocorrer uma fricção excessiva da banda de tecido fibroso sobre o epicôndilo lateral do fêmur, principalmente quando há desarranjos biomecânicos e encurtamento muscular, causando dor e inflamação na região lateral do joelho”, aponta doutor Saulo.

Ainda segundo o médico, umas das maiores características dessa síndrome é sua causa por “excesso de atividades”. O problema surge mais quando os joelhos são arqueados para fora, quando os tênis do atleta estão mais gastos do lado externo ou quando a atividade física é praticada em terreno angulado. A má postura durante a prática de alguma atividade física também favorece a STIT, como no caso do mau posicionamento na bicicleta enquanto pedala, por exemplo.

Fique atento

  • O início da Síndrome do trato iliotibial é manifestado com dor na face lateral do joelho.
  • Quando a pessoa realiza algum esforço físico repetitivo, a dor tende a aumentar.
  • Outros sintomas incluem hipersensibilidade na região lateral do fêmur, próximo ao joelho e dor em queimação quando a região é palpada associando flexão e extensão do joelho.
  • Essa dor pode ter início após o atleta percorrer longas distâncias e se intensificar, até que seja impedido de correr.
  • Em estado mais avançado, a dor também pode irradiar para a face lateral da coxa e para a face lateral da perna.
  • Procure um especialista ao notar os primeiros sintomas, para um diagnóstico e tratamento adequados.


Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *