Tabagismo é uma das principais causas da disfunção erétil

323
Dr. Carlos Frederico – foto por Erika Medeiros

Caracterizada pela incapacidade de manter uma ereção suficiente para o ato sexual, a disfunção erétil tem várias causas, desde causas psicogênicas até causas orgânicas. Dentre as causas orgânicas, as mais comuns são o diabetes, a hipertensão arterial, o tabagismo e o consumo de drogas, além de alguns medicamentos. O cigarro, de acordo com o urologista Carlos Frederico Buloto Schmitd, é um dos principais fatores de risco para a disfunção erétil.
“Para a ereção ocorrer é necessário que o sangue chegue ao pênis de maneira eficiente, ou seja, é um fenômeno que depende da saúde dos vasos sanguíneos. E o tabagismo causa danos aos vasos pela lesão da sua parte interna, criando uma reação local que dificulta a passagem do sangue de maneira suficiente para a ereção”, explica o especialista.
Conforme relata doutor Carlos, é importante lembrar que a perda da qualidade da ereção é considerada um fator de risco para outras doenças vasculares, como o infarto e os derrames. “Por analogia, podemos dizer que se a saúde dos vasos do pênis está ruim, a saúde dos vasos de outras partes do corpo também pode estar”, argumenta.
A disfunção erétil traz prejuízos para a qualidade de vida do homem, bem como do casal. Segundo o urologista, é muito comum o homem com disfunção erétil apresentar outros sintomas, como a ansiedade, a falta de confiança em ter uma relação sexual satisfatória, além do prejuízo para a intimidade do casal.
Além da dificuldade em manter uma ereção, é possível que o tabagismo contribua para a infertilidade no homem. “Muitos estudos mostram a relação direta entre o tabagismo e a diminuição da quantidade de espermatozoides, bem como a sua movimentação. Ou seja, em homens com infertilidade é altamente recomendado o fim do tabagismo”, ressalta o médico.
Em muitos casos, ainda é possível reverter a situação. De acordo com doutor Carlos, o paciente que consegue parar de fumar normalmente apresenta alguma melhora do quadro de disfunção erétil, devido a capacidade do organismo em reparar os danos. Entretanto, em alguns casos há a necessidade de apoio medicamentoso para a melhora da ereção. “É importante frisar o ganho de qualidade de vida com o fim do tabagismo, não só a parte sexual, mas em geral”, aponta.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *