Visão renovada em 10 minutos com a cirurgia de catarata? É possível!

59

Já imaginou enxergar tudo embaçado, ter dificuldade para realizar tarefas simples do dia-a-dia como dirigir e cozinhar e, mesmo com muito esforço, não conseguir ler aquele livro que você tanto gosta? Parece um pesadelo, não é mesmo? Mas infelizmente, essa é a realidade de quem tem catarata. Dados revelam que aos 65 anos, cerca de metade da população terá catarata. São mais de dois milhões de casos por ano somente no Brasil.

Principal causa de perda visual reversível em pessoas com 55 anos ou mais, a catarata pode afetar pessoas mais jovens, mas é mais comum com o avançar da idade. A doença ocasiona um embaçamento progressivo da visão, o qual é provocado pela opacificação do cristalino – a lente natural do olho. Com isso, a pessoa passa a enxergar como se estivesse olhando através de um vidro embaçado.

De acordo com o oftalmologista Paulo Ney Viana Filho, conforme a doença avança e a visão vai diminuindo, a cirurgia é a única e melhor opção para extrair a catarata e restaurar a visão do indivíduo. E com a evolução das técnicas e equipamentos cirúrgicos, o procedimento se tornou rápido e praticamente indolor. Dessa forma, apesar de relevantes, os danos ocasionados pela patologia não são capazes de superar os avanços no seu combate.

Há cerca de 20 anos, a cirurgia de catarata era demorada e bastante invasiva. Conforme relata doutor Paulo, cerca de 95% das cirurgias eram realizadas com o método extracapsular. “Era preciso tirar o cristalino inteiro e efetuar cerca de seis pontos no olho do paciente”, diz.

Hoje, é possível realizar uma cirurgia para remoção de catarata em cinco a dez minutos. O procedimento, inclusive, é realizado com maestria no Centro Médico Especializado Cemes há cinco décadas e oferece o que há de mais avançado em seu centro cirúrgico. Por conta dos avanços na cirurgia e nas lentes intraoculares, cada vez mais pessoas estão experimentando uma nova visão. São cerca de 1.000 cirurgias realizadas por ano.

A grande estrela da cirurgia de catarata, que está disponível na Cemes desde seu surgimento, é a facoemulsificação. Através dessa técnica foi possível reduzir enormemente o tempo do procedimento, bem como aumentar sua segurança e otimizar os resultados.

“O método se caracteriza por uma incisão na córnea, por volta de três milímetros, a fim de fragmentar e aspirar o cristalino doente que dificulta a visão do paciente com catarata. Não há necessidade de suturas (pontos). Em seguida, é implantada uma nova lente artificial intraocular dobrável e flexível, que promoverá uma visão mais nítida”, explica doutor Paulo.

Todo o processo é realizado com o auxílio do Centurium, equipamento de alta tecnologia, utilizado em grandes centros oftalmológicos em todo o mundo, inclusive na Cemes. Falando sobre as lentes intraoculares, o especialista revela que existem diversas opções, e que a escolha do melhor tipo para cada caso é realizada pelo paciente junto ao seu oftalmologista.

Outra evolução notável diz respeito à anestesia. Antigamente, quem quisesse se ver livre da catarata precisava se submeter a uma aplicação de anestesia um pouco dolorosa. No entanto, para passar pela cirurgia atualmente basta usar um colírio anestésico. “A evolução do procedimento, tanto em equipamentos como em técnica cirúrgica é formidável”, aponta o médico. Tendo em vista que se trata de uma cirurgia simples, rápida e indolor, o paciente retorna para casa no mesmo dia.

Para doutor Paulo Ney Viana Filho, é uma honra conseguir – com a permissão e ajuda de Deus – devolver a boa visão a milhares de pacientes que passaram e ainda passarão pela Cemes. “Muitas vezes, o paciente chega carregado no consultório por causa de catarata e no outro dia, no pós-operatório, chega sem precisar da ajuda do acompanhante, porque já está enxergando tudo”, descreve o médico, que se sente grato por ter experiências como essas.

 

 

As primeiras 24 horas

A fim de manter os resultados da melhor maneira possível, é importante que o paciente observe alguns cuidados, em especial nas primeiras 24 horas após a cirurgia. São eles:

– Administrar o colírio prescrito pelo médico nos horários indicados pelo mesmo para evitar complicações pós-operatórias;

– Usar venda de proteção para dormir;

– Evitar dirigir;

– Evitar esfregar o olho ou colocar qualquer coisa nele, até mesmo água (pode aumentar a chance de infecção);

– Não usar maquiagem no olho até que o médico libere;

– Evitar dormir no lado do olho que foi operado;

– Evitar qualquer tipo de atividade em que haja esforço, como erguer objetos.

 

Relato de uma paciente

Nesses 50 anos de existência da Cemes, os oftalmologistas já realizaram milhares de cirurgias de catarata, proporcionando à população de Cachoeiro e região ter sua visão renovada. Dentre tantas histórias a serem contadas, está a da senhora Dionê Sartório. Praticamente cega devido à catarata, ter sua visão recuperada resultou em uma alegria sem igual.

Operada pela equipe Cemes, ela conta que a cirurgia foi tranquila. Após tanto tempo enxergando quase nada, dona Dionê revela que a emoção ao enxergar novamente foi grande. “Quando enxerguei pela primeira vez após a cirurgia fiquei muito admirada e feliz. Dei graças a Deus e à equipe que fez minha cirurgia. Eu que sempre gostei muito de ler, agora posso ler tranquilamente”, expressa.

O Cemes – Centro Médico Especializado está localizado na Rua José Paes Barreto, 06, centro – Cachoeiro de Itapemirim. Telefone para contato: 28 3522-3557.

 



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *