Confira as dicas da SBP para uma volta às aulas com mais saúde

122

Ao iniciar o ano letivo da criança, é importante que os pais fiquem atentos à uma série de questões que podem afetar o seu desenvolvimento. “Na infância, a maior preocupação dos pais é referente ao contato que os seus filhos podem ter com as doenças mais comuns no ambiente escolar, o que acaba sendo inevitável”, relata doutor Hudson Cacau, pediatra Coordenador do PAI/PS do HIFA.

O especialista salienta a necessidade de os pais estarem atentos às recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria em relação à saúde da criança. O guia para pais e pediatras reúne recomendações práticas e fáceis de seguir. “Dessa forma, teremos um retorno às aulas positivo e saudável”, afirma.

Vacinação em dia. Se alguma vacina estiver em atraso, vá a um posto de saúde o quanto antes. Só assim é possível prevenir as doenças transmitidas durante o convívio em ambientes coletivos. “Portanto, verifique se o cartão de vacina do seu filho está em dia”, frisa.

Boas noites de sono. “O ideal é estabelecer horários para colocar o seu filho na cama. Diversos estudos já comprovam que o sono é fundamental para o desenvolvimento das funções cerebrais, bem como os hormônios do crescimento.  A falta de limite no uso dos equipamentos eletrônicos na infância pode prejudicar o início do sono e afetar o desenvolvimento da criança durante a fase escolar”, argumenta doutor Hudson.

Alimentação balanceada. “A alimentação na infância é fator determinante na saúde da criança. Na fase escolar é muito importante que a família seja exemplo e consiga atingir uma alimentação saudável e com hábitos alimentares que evitem o consumo de sal, gorduras saturadas, colesterol e açúcares.  Os pais não devem fazer a troca da refeição pelo lanche”, recomenta o pediatra.

Cuidado com o tamanho da mochila. Conforme ressalta o médico, as mochilas não devem ultrapassar 10% do peso da criança. “Estudos comprovam danos à coluna na vida adulta. Observe se o seu filho usa as duas alças da mochila, a altura da borda em relação ao ombro. Lembrar que as mochilas de rodinhas, se não respeitar o limite de peso, também podem trazer problemas”, aponta.

Atenção às queixas. “Caso o seu filho faça uso de alguma medicação, informe na agenda escolar da criança e também tenha uma conversa com a coordenação pedagógica da escola, de modo que seja possível entender as doses e horários corretos”, expõe doutor Hudson. “É importante que a família fique atenta a queixas de dor de cabeça e sensibilidade visual. Tais queixas podem, se não tratadas com atenção e no momento certo, se agravar”, enfatiza.

Sinais de ansiedade. Para muitas crianças e até mesmo para os pais, a volta as aulas pode ser motivo de ansiedade. “Por isso, os pais devem sempre incentivar o desenvolvimento intelectual do filho, ficar próximo, conhecer todos os ambientes escolares para atestar a segurança”, orienta o médico. “Em caso de dúvidas, procure sempre o seu pediatra”, reforça.

 

Foto por Wallace Hull

 

 



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *