Ginecologia regenerativa rejuvenesce e harmoniza região íntima

275

Todas as mulheres durante sua vida passam pelo processo de envelhecimento. Esse envelhecimento leva à perda de funcionalidade de diferentes partes do corpo, e na região genital feminina não ocorre de forma distinta. Ginecologia regenerativa funcional e estética é o nome dado ao conjunto de procedimentos que buscam devolver a funcionalidade e a estética à área íntima da mulher, que é perdida ao longo da vida.

O objetivo principal da ginecologia regenerativa, de acordo com a ginecologista Karina Quezada Miglioli, é rejuvenescer, restaurar a anatomia do assoalho pélvico, estimular a sexualidade e harmonizar a região, recuperando a autoestima e a confiança da mulher. “Esses tratamentos são indicados em qualquer fase da vida, principalmente para as mulheres já na menopausa, quando os sinais de hipoestrogenismo já estão instalados e acabam levando a um quadro que chamamos de Síndrome Genitourinária da Menopausa”, afirma.

Os principais sintomas da síndrome, conforme salienta a especialista, são ressecamento vaginal, ardência, dor, flacidez da mucosa, diminuição da libido, prurido crônico, incontinência urinária, urgência miccional e infecções de repetição.

“Porém, pacientes que fizeram algum tratamento oncológico, ou usaram esteroides, que estejam no pós-parto ou que apresentem algum tipo de alteração da anatomia ou coloração também podem se beneficiar da ginecologia regenerativa”, argumenta.

Doutora Karina informa que não existe um tratamento ideal, pois deve-se respeitar a individualidade de cada paciente. Portanto, o conceito do BGB (Brazilian Genital Beautification) é o que mais se enquadra nessa proposta. Ele propõe que não existe um melhor tratamento e sim que, a associação de várias técnicas e tecnologias tem um efeito melhor, mais duradouro e com recuperação mais rápida da paciente.

Os tratamentos

Dentre os tratamento utilizados nessa área, doutora Karina destaca: FRAXX , Laser (Erbium e CO2), Peelings, preenchimentos com ácido hialurônico (ginebooster), aplicação de ácido polilático (ginebio), fios de sustentação, toxina botulínica, ultrassom microfocado e inúmeros cosmecêuticos, que quando associados promovem uma redensificação, volumização, hidratação através de um estímulo vascular e da neocoagenese.

Foto por Erika Medeiros



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *