Atenção deve ser redobrada com acidentes domésticos em idosos

63

Quanto mais tempo em casa, maior o risco de acidentes domésticos. Por isso, a atenção e cuidado devem ser redobrados nesse período de pandemia que induz o isolamento social – ainda mais necessário para os idosos, que fazem parte do grupo de risco para Covid-19. Um fator agravante é que, com o sedentarismo, a musculatura pode acabar enfraquecendo e tornando as quedas mais perigosas.

Nesse sentido, a atividade física, que sempre teve um papel fundamental, torna-se ainda mais importante durante a quarentena. Conforme ressalta o ortopedista Juliano Paradela, da clínica Ortotrauma, os exercícios devem ser feitos com orientação profissional a fim de evitar o risco de lesões. “Várias atividades podem ser feitas em casa. Desde musculação, com pesinhos improvisados, à natação e hidroginástica, para quem tem piscina em casa, por exemplo”, sugere.

Além de se manter ativo, é necessário que o idoso tenha um ambiente seguro para minimizar ao máximo o risco de acidentes domésticos. “A pessoa na terceira idade, quando cai, quebra com mais facilidade que o jovem, primeiramente porque não tem reflexo para se proteger. As regiões mais afetadas são quadril, fêmur, punho, úmero proximal e coluna lombar”, aponta doutor Juliano.

Segundo o especialista, existem pequenas coisas que podem ser feitas para prevenir as quedas de idosos no lar. “É importante instalar corrimão nos locais de maior acesso e que têm um pouco mais de risco de acidentes; colocar um tapete antiderrapante no box do banheiro; evitar tapetes pequenos pela casa, sandálias no chão próximas da cama, enfim, objetos que podem fazê-los tropeçar e ocasionar uma queda”, orienta.

Outro cuidado, de acordo com o ortopedista, é evitar pegar peso, pois pode lesionar a coluna. O médico alerta ainda para a importância de não provocar medo nos idosos. Isso porque o medo excessivo pode fazer com que o indivíduo tema tanto uma queda que pare até de andar. “Em caso de acidente, deve-se procurar um atendimento especializado o mais rápido possível”, argumenta.

Foto por Jonathan Lessa



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *