Espaços familiares podem desencadear transtornos psicológicos

66

A psicóloga Tatielly Baião Bonan – Foto por Mateus Baião

Por Tatielly Baião Bonan

Psicóloga

Quem nunca ouviu a frase “A família é a base de tudo”? Para a psicologia, essa base se refere à complexa convivência humana responsável pela formação de um indivíduo, sua construção de valores, personalidade, comportamentos e vivências emocionais. Quando a família oferece experiências afetivas positivas, diminui a possibilidade de o indivíduo vir a manifestar alguns transtornos psicológicos.

Apesar do amor, alguns espaços familiares podem deixar de cumprir com êxito suas funções afetivas e podem acabar sendo fonte de grande angústia e sofrimento, desencadeando nos membros mais vulneráveis depressão, ansiedade, estresse, baixa autoestima, sensação de inferioridade, entre outros. Abusos, humilhações e trauma são próprios das chamadas famílias tóxicas. E não se engane, ainda que apareçam de forma sutil, causam grave impacto naqueles que sofrem suas ações.

Quando um paciente vem de um ambiente familiar tóxico, sua recuperação pode ser mais lenta, pois é dificultada pela falta de apoio emocional dos familiares, pela falta de compreensão do transtorno que acomete o paciente e de como cada comportamento familiar disfuncional agrava o quadro de sintomas.

Não é incomum trazermos essa família para o consultório, para que possam rever seus modelos de parentalidade e expressão afetiva. Isso é muito importante não apenas para a melhora do paciente, mas para que a família tenha a oportunidade de tratar suas dores, pois, uma vez modificado o sistema, todos se beneficiam, e evitamos possíveis reincidências dos transtornos psicológicos. Mas, não são todos os familiares que se propõem a mudar, deixando desamparado o paciente que buscou ajuda. E em alguns casos, o afastamento do convívio com alguns familiares se faz necessário, pois ninguém é obrigado a conviver com quem lhe faz mal justificado pelo simples fato de ser da família.

Os laços que unem a família são eternos, independente do quanto convivamos com nossos familiares. Mas o que é família? O dicionário define como “pessoas do mesmo sangue ou não, ligadas entre si por casamento, filiação ou mesmo adoção; parentes, parentela”, ou ainda “um grupo de pessoas unidas por convicções, interesses ou origem comuns”. Esse conceito nos permite, de certa forma, escolher pessoas significativas para estarem perto de nós, para serem nosso suporte emocional e psicológico ao longo da vida.

Ou seja, nossas relações familiares não precisam estar fixadas nas relações sanguíneas. Afinal, existem amigos mais chegados que irmãos, pais de amigos que nos acolhem e nos “adotam”, avós e tios que são fonte de amor, zelo e cuidados. São pessoas que nos respeitam e amam. Encontre amor por onde for!

 

Sinais da família tóxica

– Você é envolvido nos problemas financeiros, relacionais e emocionais dos pais, como se fosse o responsável pelo acontecido;

– Você não se sente visto ou ouvido pelos familiares, pois seus sentimentos e vontades são completamente ignorados ou viram alvo de chacotas;

– Quando está perto de seus familiares, você se sente inferior, inseguro, com medo, impotente, inautêntico, infantilizado;

– Sente que suas forças são sugadas, fica exausto, cansado, sem esperança, sem alegria, sem energia diante dos familiares;

– Brigas e confusões são desencadeadas quando você ousa dizer “não” ao que eles querem, ou apresenta um pensamento diferente dos deles, fazendo com que você fique cada vez mais reprimido;

– Erros não são tolerados, e quando acontecem, há uma chuva de críticas e punições.

– Você vive “pisando em ovos” para não falar ou fazer nada que possa desencadear uma briga, pois eles são muito reativos e intolerantes;

– Momentos especiais de sua vida não são celebrados com alegria verdadeira, passam em branco, são tratados com desdém ou são comemorados de forma forçada, apenas por obrigação;

– Já cortou relações com alguns membros ou vive pensando nessa possibilidade;

– Ainda que veja e reconheça que um dos filhos é tratado de forma tóxica, não se posiciona com firmeza para protegê-lo, facilitando a perpetuação dos maus-tratos.

 

Tatielly Baião Bonan é Psicóloga especialista em Terapia cognitivo-comportamental, Terapia de família e Coach Parental (CRP 1314/16). O Family Care está localizado no Shopping Cachoeiro: Rua 25 de Março, 33, sala 212 – Centro. Telefone: (28) 99959-0650. Siga Tatielly no Instagram: @tatiellybonan

 

 



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.