Especialista esclarece dúvidas Tudo sobre a saúde dos idosos

449

Qualidade de vida e terceira idade é uma parceria possível. As estatísticas mostram que em 2020 a população idosa será de mais de 26,3 milhões só no Brasil. Com o envelhecimento da população, torna-se fundamental a criação de políticas públicas a fim de oferecer as condições ideais para que essa parcela da sociedade usufrua da qualidade de vida que merece.

O especialista convidado para responder questões sobre saúde dos idosos é o doutor Léo Claussen Boechat Castro, geriatra. Confira abaixo perguntas sobre quedas em idosos, suplementação de cálcio, pneumonia, entre outros assuntos esclarecidos.

Para participar da próxima edição, envie sua pergunta para jessica@editoraviver.com.br. Vamos abordar dermatologia!

1. O que fazer para tratar feridas que não cicatrizam?

Marilene Lopes, 45, do lar

Dr. Léo: Marilene, em primeiro lugar é importante que o médico faça o diagnóstico do motivo da existência daquela ferida para que haja um tratamento adequado. Entre as principais estão o “pé diabético” e a úlcera venosa, tratados com o devido controle glicêmico, estimulação de melhora circulatória, antibióticos e manejo adequado de curativos e pomadas. Além da mais temida aos idosos acamados, que são as úlceras (escaras) de pressão, que necessitam de mudança contínua do decúbito, colchões específicos para acamados, hidratação e nutrição corretas do paciente, cuidado local da ferida e até tratamento hiperbárico.

2. Por que os idosos caem com facilidade?

Jaqueline Baptista, 30, vendedora

Dr. Léo: Jaqueline, isso provém de uma Grandeza Geriátrica chamada de Instabilidade Postural. Com o envelhecimento é comum uma multiplicidade de fatores surgirem, afetando consideravelmente o equilíbrio e a força dos idosos e facilitando as quedas. Perda progressiva de massa muscular, doenças ortopédicas como artrose, alterações na pressão arterial, labirintopatias e medicamentos sedativos como os ¨tarjas pretas¨ são exemplos clássicos. Essas quedas geram enorme risco, como o de traumatismos cranianos e fraturas de fêmur.

3. A partir de que idade é necessário tomar suplemento de cálcio?

Maria Célia, 47, costureira

Dr. Léo: Não existe uma idade estipulada, Maria Célia, e sim uma indicação individual a cada paciente, sugerida principalmente pela sua ingesta diária de cálcio, pela dosagem do mesmo e o resultado de sua Densitometria Óssea. É importante não só essa reposição como a de Vitamina D aos deficitários para, associado à atividade física, buscarmos uma prevenção eficaz à osteoporose, tão comum no nosso envelhecimento.

4. Quais são os primeiros sinais da demência senil?

José Carlos Alves, 50, bancário

Dr. Léo: José Carlos, nos dias atuais o termo Demência Senil caiu em desuso por sugerir que possa haver um quadro demencial proveniente puramente do processo de envelhecimento. O que vemos agora que isso não é real, e sim, o surgimento de um processo patológico específico gerando Demências como o Alzheimer, Vascular, por Corpos de Lewy, entre outras. Seus sinais iniciais são a perda de funções cognitivas como a memória, atenção, linguagem, localização espacial e temporal, assim como a perda da sua funcionalidade, tornando aos poucos o idoso dependente.

5. Como prevenir a pneumonia em idosos?

Jéssica Martins, 25, maquiadora

Dr. Léo: É muito importante nesses dias, Jéssica, que os idosos procurem evitar contato próximo com pessoas gripadas e lavando sempre as mãos, principalmente após cumprimentar alguém; evitar se expor a fatores alergênicos; evitar exposição ao frio; manter boa nutrição e hidratação; evitar o tabagismo; evitar imobilidade, não permanecendo em tempos prolongados sentados ou, principalmente, deitados; além de buscar orientação médica em relação à vacinação existente contra pneumonia.

6. Qual é o tratamento para sarcopenia?

Luiz Depes, 52, vigilante.

Dr. Léo: Luiz, a Sarcopenia, que é a perda progressiva de massa muscular, típica do envelhecimento, precisa ser fortemente prevenida com a manutenção de atividade física regular durante toda nossa vida, e se busca tratá-la com o combate a qualquer condição patológica que a intensifique, estímulo muscular indicado individualmente a cada paciente podendo ser fisioterapia, Pilates, Hidroginástica, musculação, caminhadas e etc., assim como um controle nutricional adequado na ingesta de proteínas. Ainda não há estudos seguros que permitam uso de hormônios, mas pode-se utilizar no futuro, se existirem.

(foto: Erika Medeiros)



A revista Viver! é publicada mensalmente há mais de 17 anos com circulação no Espírito Santo. Trata-se de uma das mais importantes revistas de saúde do Brasil, com centenas de especialistas em prol do dilema "Informação que faz bem".


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *