Estresse está associado ao aumento do risco cardiovascular

23

Foto por Erika Medeiros

Uma pesquisa feita na Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, indicou que o estresse pode levar a um infarto. Segundo o estudo, situações estressantes provocam uma produção excessiva de glóbulos brancos no organismo. Essas células fazem parte do sistema imunológico e, em excesso, podem se acumular nas paredes das artérias, reduzindo o fluxo sanguíneo e favorecendo a formação de coágulos – elevando, assim, o risco de doenças cardiovasculares.

Que o estresse se estabeleceu na rotina do ser humano moderno, não é novidade. Mas até que ponto ele está nos afetando? Conforme expressa o cardiologista Marcelo Maia, quando não conseguimos lidar com ele, isso afeta diretamente nossa qualidade de vida, nossas relações interpessoais e nosso desempenho profissional. “No mundo moderno, saber lidar com as cobranças impostas pela sociedade e as cobranças pessoais com o objetivo de atingir resultados, são os principais fatores de risco para tal”, diz.

De acordo com o especialista, podem ocorrer manifestações como irritabilidade, intolerância, alterações de humor e tremores. O estresse também pode provocar sintomas cardiovasculares que se confundem com sintomas orgânicos, principalmente palpitação, dor no peito, fadiga e falta de ar.

Doutor Marcelo explica que o estresse está associado ao aumento do risco cardiovascular, seja por alterações relacionadas ao aumento da ingesta alimentar e ganho de peso, assim como alterações hormonais e inflamatórias que estão associadas à hipertensão arterial, à doença arterial coronariana, ao acidente vascular cerebral e insuficiência renal.

“Os sinais e sintomas cardiovasculares são semelhantes àqueles de origem orgânica e o médico deve ser consultado para avaliação e tratamento. Este deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar, ou seja, vários profissionais de saúde atuando com objetivos em comum – nesse caso, o bem estar do paciente, a melhora na qualidade de vida e a diminuição do risco cardiovascular”, elucida o médico.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *