Evolução da hematologia agrega novidades no arsenal terapêutico

363
Foto por Erika Medeiros

Ramo da medicina que estuda o sangue, seus distúrbios e doenças, a hematologia cresceu muito nos últimos anos. Abrange o tratamento de patologias como anemias, leucemias, linfomas, mielomas e problemas de coagulação, atuando tanto no laboratório quanto no banco de sangue e clínica médica. Trata-se de uma especialidade complexa, que lida com uma gama de doenças distintas entre si.

Hematologista com 28 anos de experiência, doutor André Sena tem observado muitos avanços no decorrer de sua trajetória. O arsenal terapêutico precário e dificuldades para tratar doenças – realidades que enfrentou no início de sua carreira – deram lugar a novos medicamentos que revolucionaram, por exemplo, o tratamento da leucemia crônica. A doença, que décadas atrás condenava o paciente à terminalidade, hoje pode ser controlada com sucesso.

Para doutor André, outro avanço que merece destaque foi o surgimento dos anticorpos monoclonais, medicamentos biológicos que agem contra um tipo específico de célula, os quais inovaram o tratamento dos linfomas. “Também estamos vendo uma revolução nos exames diagnósticos de cânceres hematológicos. Atualmente é possível ter uma precisão da quantidade de células tumorais e células normais, além de identificar se há mutação genética”, informa.

Entidades que eram tratadas com dificuldade, como o mieloma múltiplo (tumor do sangue), hoje contam com um arsenal de cerca de cinco medicamentos, sendo previsto o lançamento de mais dois. “Após mais de 20 anos sem avanços, nos últimos cinco anos também tivemos lançamentos de medicamentos específicos para leucemia linfoide aguda”, completa.

Falando sobre o futuro de sua área, o hematologista almeja o momento em que será possível tratar pacientes graves sem a necessidade de internação. Lançando mão, para isso, de medicamentos orais e injeções subcutâneas e tratando cada paciente de forma diferenciada. “Ainda para este ano ou o próximo, será lançada uma tecnologia inovadora que vai individualizar o tratamento dos tumores hematológicos e, provavelmente, de todos os tumores futuramente”, aponta.

Outro avanço que doutor André aguarda vivenciar está relacionado ao próprio sistema de defesa tratando o tumor. Isso será possível através de uma medicação aliada à engenharia genética e imunologia. Trata-se de uma realidade não tão distante assim. Estudos realizados com pacientes leucêmicos considerados incuráveis, nos quais suas células de defesa foram retiradas e modificadas para reconhecer seu tumor, apresentaram ótimos resultados, levando até mesmo à remissão da doença. “Nossa esperança é que em até cinco anos consigamos tratar e curar todas as entidades hematológicas com esse recurso”, relata.  

18 anos da Viver!

“Eu tive o privilégio de participar da gestação da revista Viver! Há 18 anos o Romulo me falou de sua ideia e eu a achei fantástica, porque este seria um canal de comunicação entre nós médicos e profissionais da saúde em geral, com a comunidade. É importante que as pessoas saibam o que está acontecendo no meio médico do Sul do estado, região que tem o privilégio de ter grandes profissionais, grandes hospitais e grupos de tratamento reconhecidos no país. E a revista Viver! tem cumprido a missão de transmitir essas informações à população. É um trabalho que deve continuar”.

O doutor André Sena atende em consultório no Laboratório André Sena, localizado na Praça Gilberto Machado, 35 – Cachoeiro de Itapemirim. Os telefones de contato são (28) 35217649 e (28) 99941-2024.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *