Gripe X alergia: diferenciar condições é essencial para tratamento

50

Ambas afetam o sistema respiratório, compartilhando de alguns sintomas como tosse, espirros, congestão nasal, coriza. Por isso, muitas vezes surge a dúvida: é gripe ou alergia? Embora os sintomas sejam frequentemente semelhantes, gripe e alergias possuem diferenças. “As duas condições têm causas diferentes e os sintomas variam em tipo e duração”, aponta doutora Carolina Pennaforte, médica alergista e imunologista.

Identificar a condição de uma pessoa, conforme ressalta a médica, permite o tratamento mais rápido e adequado, evitando também as possíveis complicações. Falando sobre os sintomas de cada quadro, ela explica que a alergia respiratória se caracteriza por coriza, espirros, tosse, obstrução nasal, coceira no nariz e nos olhos e lacrimejamento ocular.  “Normalmente ela vem sem febre, ao passo que o estado gripal é um pouco diferente podendo vir acompanhado de febre, queda do estado geral, dores no corpo, além de todos os sintomas da rinite. Outro sinal claro de uma alergia é a duração do evento, que é mais prolongado, podendo durar por mais de um mês e enquanto houver exposição ao alérgeno”, aponta a especialista, acrescentando que a gripe, por sua vez, não costuma perdurar por mais de 10 dias.

A fim de amenizar crises alérgicas, doutora Carolina orienta o controle ambiental adequado, com base na sensibilização e na exposição do paciente. “Associada ao tratamento farmacológico apropriado, pode aliviar os sintomas e, consequentemente, melhorar de forma marcante a qualidade de vida dos pacientes com alergias respiratórias”, argumenta.

 

Fuja das crises alérgicas

– Quarto bem ventilado e ensolarado;

– Travesseiro e colchão de fibra, espuma ou látex e capa impermeável aos ácaros;

– Estrado da cama limpo duas vezes por mês; camas e cobertores trocados e lavados regularmente;

– Evite tapetes, carpetes, cortinas, bichos de pelúcia, estantes de livros, revistas e objetos que possam acumular poeira;

– Identificar e eliminar o mofo e a umidade;

– Passar pano úmido diariamente na casa ou usar aspiradores de pó com filtros especiais 2 vezes por semana;

– Manter os filtros dos aparelhos de ar-condicionado sempre limpos;

– Evitar animais de pelos e penas, especialmente no quarto e na cama do paciente;

– Evitar talcos, perfumes, desodorantes, principalmente na forma de sprays;

– Não fumar e nem ficar próximo de pessoas que fumem;

– Evitar banhos extremamente quentes e oscilação brusca de temperatura;

– Esportes podem e devem ser praticados.

 

Foto por Ana Paula Grechi

 



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *