Pais de meninos devem estar atentos aos sinais de fimose

27

A fimose é um problema caracterizado pela dificuldade em expor a glande (a cabeça do pênis), de maneira parcial ou total, mesmo com ele flácido, pelo estreitamento do prepúcio (pele que recobre a glande). Segundo o urologista Carlos Frederico Buloto Schmitd, em muitos casos os pacientes relatam que não conseguem higienizar adequadamente o pênis; outros têm dificuldade na hora da relação sexual, com quadro de dor pelo fato da pele dificultar a exposição da glande.

O especialista revela que são muito comuns, em crianças e adultos, episódios de irritação genital com vermelhidão, coceira e odor ruim. Isso porque a dificuldade em higienizar a região promove o acúmulo de resíduos e secreções que são fortemente irritativos.

“Toda criança do sexo masculino nasce com o prepúcio aderido à glande, então é normal a fimose nos recém nascidos. À medida que cresce, essas aderências são normalmente rompidas com manobras locais, realizadas geralmente pelos pais”, expõe doutor Carlos. “Mas em alguns casos isso pode não ocorrer, levando à necessidade de tratamento”, completa.

Por falta de orientação aos pais, algumas vezes a criança cresce com a fimose e pode vir a ter problemas quando adulto. Outra causa muito comum, de acordo com o especialista, são as infecções fúngicas locais, que podem causar inflamação no prepúcio e formação de um “anel” que dificulta a exposição da glande. “Pacientes adultos com fimose e com baixa higiene têm incidência maior de câncer de pênis, quadro grave que pode levar a mutilações e até mesmo óbito”, alerta.

O urologista esclarece que, normalmente, consegue-se na infância resolver a fimose do menino com manobras que rompem as aderências do prepúcio à glande. Essas manobras devem ser feitas pelos pais ou em casos de crianças maiores, serem bem orientadas a fazerem. Existem pomadas locais que também auxiliam na remoção destas aderências.

Em alguns casos, porém, é necessário ser realizado o tratamento cirúrgico, que consiste em remover o excesso de prepúcio. “A cirurgia só é indicada em meninos após saírem da fase do uso de fraldas. Em adultos normalmente a melhor opção de tratamento é a cirurgia, que tem o nome de postectomia. A recuperação via de regra é muito boa, com retorno as atividades corriqueiras após alguns dias, mas requer um período maior de abstinência sexual. Como toda cirurgia, deve ser bem indicada e o paciente bem orientado”, elucida o médico.

 

Fique atento!

Os pais devem estar atentos ao menino e ao seu desenvolvimento, sendo importante a orientação para o diagnóstico, para as manobras citadas e consulta médica com o pediatra e, em alguns casos, com o urologista ou cirurgião pediátrico. Em adultos, ficar atento a alterações locais da região genital e procurar um urologista em caso de dúvidas ou sintomas locais genitais.

 

 

Foto por Erika Medeiros



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *