Prótese ocular devolve a autoestima a quem perdeu o globo ocular

94

Seja por traumas físicos, patologias adquiridas ou congênitas, a perda da visão ou do globo ocular pode acontecer. A fim de oferecer reabilitação estética e funcional a esses pacientes, uma solução é a prótese ocular ou lente escleral. E esse serviço agora é oferecido na clínica Cemes, em Cachoeiro, pelo fisioterapeuta e especialista em prótese ocular doutor Antonio Sarlo Neto, membro da International Academy of Professional Ocularists – Puerto Rico.

Falando sobre as características das próteses oculares atualmente, doutor Antonio explica que são fabricadas com resina acrílica, são leves, hipoalergênicas e especialmente desenvolvidas para esse fim. “As próteses em resina acrílica têm maior resistência mecânica e durabilidade e oferecem ainda outra grande vantagem: podem ser submetidas a polimentos mecânicos e higienizadas quimicamente a cada seis meses, minimizando quadros infecciosos e lesões”, aponta.

Conforme expõe o profissional, esse tipo de material também eleva a vida útil da prótese ocular de três a cinco anos, dependendo dos cuidados individuais de cada paciente. Com relação ao processo para a moldagem das próteses, o ocularista relata: “As próteses oculares ou lentes esclerais confeccionadas por mim aqui na Cemes são individualizadas, pintadas e caracterizadas manualmente na expectativa de atingir a maior semelhança possível com o olho hígido do paciente.  A perfeição dependerá também das condições faciais e orbitais encontradas no paciente”.

Doutor Antonio esclarece que após a avaliação da anatomia da cavidade ocular é feito um estudo da mobilidade da musculatura extrínseca do paciente submetido à cirurgia de enucleação (remoção do globo ocular inteiro) ou evisceração (remoção do conteúdo ocular). A moldagem infraorbitária é feita com silicone ortodôntico. “Essa tomada de impressões do implante ou enxerto dermoadiposo, bem como dimensões e características orbitárias que são individuais em cada paciente, são fatores fundamentais para uma boa protetização e mobilidade da prótese ocular”, afirma.

De acordo com o especialista, a adaptação das próteses é um procedimento indolor. A pessoa pode sentir apenas um leve incômodo no período da adaptação, desaparecendo em poucas horas de uso. “Costumo dizer que a prótese ocular é um corpo estranho controlável, e os tecidos da cavidade se adaptam à presença da prótese, permitindo que esta se acomode perfeitamente no espaço existente, ao ponto de não ser mais percebida pelo usuário no seu dia-a-dia”, diz.

 

Autoestima restabelecida

Conforme salienta o profissional, uma deformidade ou perda ocular é sempre problemática para o portador, a perda da visão provoca alterações marcantes na vida dos pacientes, afinal, é uma amputação. Uma lesão na face, região essencial para o relacionamento humano, traz graves consequências físicas e psicossociais, afetando diretamente a autoestima do paciente. Portanto, as próteses oculares são uma excelente maneira de devolver a autoestima e qualidade de vida a essas pessoas.

No que tange aos cuidados com a prótese, doutor Antonio orienta: “É aconselhável que a cada seis seis meses o paciente protetizado consulte seu Oftalmologista e procure seu Ocularista para polimento e higienização da prótese ocular, primando pela sua saúde e elevando a vida útil da prótese.



Jessica Castelo

Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *