Reabilitação fonoaudiológica é realizada com embasamento

242
Foto: Erika Medeiros

Quando uma pessoa é acometida por um problema de saúde, se faz necessário o planejamento de saúde dela. Quais as medidas que devem ser tomadas e quais as abordagens e enfoques necessários em função daquela doença naquele paciente. Dessa forma, vários profissionais precisam estar envolvidos para que a assistência ampla aconteça e, assim, atenda-se de forma integral este caso.

Segundo a fonoaudióloga Renata Bandeira, da Fonocenter, o fonoaudiólogo é um dos profissionais que participa deste momento. E sua contribuição ocorre desde o nascimento do bebê até a velhice. Pois seu campo de atuação envolve os processos de amamentação, respiração, deglutição, voz, audição e linguagem oral e escrita. “A elevada ocorrência de diversas doenças relacionadas ao tratamento fonoaudiológico faz com que a inserção e o encaminhamento para este profissional sejam fundamentais para, principalmente, reabilitar aquela função com alteração”, revela.

Conforme salienta a profissional, compete ao fonoaudiólogo fazer o diagnóstico dentro da sua área. Porém, é de extrema importância ter o bom senso de também encaminhar o paciente, quando necessário, para as diferentes áreas médicas e paramédicas, para que as diversas possibilidades que podem interferir na problemática apresentada pelo paciente sejam concluídas.

“A reabilitação fonoaudiológica realizada através de protocolos e com embasamento científico tem se mostrado cada vez mais eficiente, importante e necessária em todos os ciclos da vida.  Através de uma avaliação, o fonoaudiólogo diagnostica a dificuldade que o paciente apresenta e, assim, consegue determinar qual o tratamento mais adequado para o caso, por questões neurológicas ou funcionais”, expõe Renata.

Por exemplo, na fala: Não falar claramente e/ou não conseguir articular alguns sons.  Na fluência: Dificuldades com a fluência na fala (interrupções e bloqueios), como a gagueira. Na voz: Alterações na qualidade da voz (timbre, intensidade, qualidade). Nas funções orofaciais: Dificuldades na mastigação, na deglutição, na respiração e na motricidade orofacial.

Na linguagem oral: Atrasos no desenvolvimento e dificuldades em compreender e/ou em se expressar oralmente. Na linguagem escrita: Alterações na expressão e/ou na recepção da Linguagem Escrita (Dislexia e dificuldades escolares em leitura e/ou escrita). Na audição: Alterações do Processamento Auditivo e Deficiência Auditiva.

A fonoaudióloga Renata Bandeira atende na clínica Fonocenter, localizada na Rua Lauro Viana, 29, edifício El Shaday, Centro, Cachoeiro de Itapemirim. Telefones de contato: (28) 3521-7537/3036-3779/99950-1140

Foto: Erika Medeiros



A revista Viver! é publicada mensalmente há mais de 17 anos com circulação no Espírito Santo. Trata-se de uma das mais importantes revistas de saúde do Brasil, com centenas de especialistas em prol do dilema "Informação que faz bem".


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *