Saiba quais são os perigos da gordura trans para sua saúde

395

Com o objetivo de salvar cerca de 10 milhões de vida, a OMS (Organização Mundial da Saúde), divulgou recentemente seus planos para acabar de vez com a gordura trans industrializada até 2023. De acordo com a organização, o consumo desses alimentos é responsável por mais de 500 mil mortes ao ano.

Para a nutricionista Karla Vieira dos Santos, a erradicação da gordura trans representará uma importante vitória na luta global contra doenças cardiovasculares. “Na Dinamarca, primeiro país a proibir a trans, segundo estudo publicado no The American Journal of Preventine Medicine, a mudança lá ajudou salvar 14,2 vidas por 100 mil pessoas, a cada ano”, aponta.

Explicando do que se trata a gordura trans, a nutricionista informa que existem duas principais fontes: a natural, de origem animal e presente em carnes e leite e derivados – a qual possui índices toleráveis e menos maléficos – e a industrializada. “Nesse caso, são gorduras insaturadas que sofrem um processo químico chamado de hidrogenação, isto é, os óleos vegetais líquidos em temperatura ambiente passam para a forma sólida. É justamente este processo que deixa os alimentos tão atraentes e gostosos”, elucida.

Conforme relata a profissional, as gorduras trans estão presentes em alimentos como sorvetes, batata frita congelada, bolos, biscoitos cream cracker, biscoitos recheados, chocolates, pipoca de microondas, salgadinhos e pizzas industrializados. Além de margarinas, nuggets, fast foods, e em muitos outros alimentos industrializados. Para saber se o alimento possui a gordura e em qual quantidade, basta checar o rótulo das embalagens.

Falando dos malefícios para a saúde, Karla salienta que dietas ricas em gordura trans além de contribuir para o ganho de peso, podem aumentar o processo inflamatório do corpo. Além de elevarem os níveis do colesterol ruim (LDL) e reduzirem o bom (HDL), acarretam risco de doença cardíaca, como infartos e derrames. Ainda há estudos que relacionam a ingestão exagerada da trans ao câncer de mama.

Reduza o consumo

Enquanto as mudanças na indústria alimentícia não vêm, é importante se policiar, preferindo alimentos naturais ao industrializados. É possível fazer substituições no dia a dia para reduzir o consumo da gordura trans. “Se você gosta de margarina ou manteiga sólida com sal; biscoitos recheados, crocantes e de polvilho; produtos pré prontos (lasanhas, pizzas, pães); pipoca de microondas; congelados, ppte por azeite de oliva extra-virgem; cookies orgânicos, com baixo índice de sódio; massas caseiras; pipoca tradicionalmente na panela.

Foto: Erika Medeiros



A revista Viver! é publicada mensalmente há mais de 17 anos com circulação no Espírito Santo. Trata-se de uma das mais importantes revistas de saúde do Brasil, com centenas de especialistas em prol do dilema "Informação que faz bem".


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *