Uso indiscriminado de anabolizantes pode ocasionar sérios riscos à saúde

24

O cardiologista Gilberto Dian de Almeida – Foto por Erika Medeiros

O uso de anabolizantes é indicado para o tratamento de várias doenças e, se feito da maneira correta, pode salvar vidas. O uso exacerbado e sem orientação médica adequada, porém, pode gerar sérios efeitos colaterais, tanto em homens e mulheres, conforme revela o cardiologista Gilberto Dian de Almeida.

Entre as consequências, o médico lista o aumento de acnes, queda do cabelo, distúrbios da função do fígado, tumores no fígado, explosões de ira ou comportamento agressivo. Além de ansiedade, alucinações, psicoses, coágulos de sangue e retenção de líquido no organismo. “Também pode haver enfraquecimento dos osso e queda da imunidade”, diz.

Falando especificamente da saúde cardiovascular, o especialista relata que o uso inadequado de anabolizantes pode causar o aumento da pressão arterial, arritmia cardíaca, bem como hipertrofia do músculo cardíaco, acarretando no seu enfraquecimento.

Conforme relata o cardiologista, a pessoa que usa anabolizantes deve ficar atenta a qualquer sintoma ou sinal dessas doenças que foram citadas. O principal, porém, é fazer o uso deles somente quando acompanhado por um profissional da saúde. Isso porque algumas dessas alterações podem ser silenciosas e só vão se manifestar quando a doença estiver em estado avançado e mais grave, tais como Trombose, Embolia, AVC, Infarto ou Arritmias cardíacas.

“Toda pessoa que fez uso indiscriminado de anabolizantes deve passar por uma avaliação médica, mesmo depois de suspender do uso”, alerta o médico. “Algumas alterações são reversíveis, outras não. Por exemplo, uma pessoa que tem história de Hipertensão na família pode ter o uso de anabolizantes como um gatilho para desenvolver hipertensão também, e isso vai acompanhá-la por toda a vida”, enfatiza.

Uso proibido

Ainda de acordo com doutor Gilberto, o uso de anabolizantes para fins estéticos ou para aumentar o rendimento esportivo é proibido. Eles só devem ser usados para fins medicinais em algumas doenças específicas, como o Hipogonadismo, que é caracterizado pela queda da produção de Testosterona no homem, provocando vários sintomas e sinais que podem prejudicar a saúde. “O uso com justificativa de melhorar o envelhecimento, recuperar o desempenho sexual somente e outras razões que não tenham como fundo tratar alguma doença, não é justificável e é perigoso”, ressalta.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *