Glaucoma pode surgir por diversas causas e causar perda da visão

134
Dr. Flávio Hemerly- foto por Jonathan Lessa

Doença multifatorial, o glaucoma pode ser classificado como primário ou secundário quanto a causa. De acordo com o oftalmologista Flávio Hemerly, da clínica Cemes, o glaucoma primário é o mais comum e sua principal causa é o aumento da pressão intraocular. No que diz respeito à forma secundária da doença, pode ocorrer devido a uveíte, retinopatia diabética e hipertensão arterial, entre outras causas.

A patologia que afeta os olhos pode ser classificada, também, como de ângulo aberto (mais comum) ou fechado. Sobre os fatores de risco, doutor Flávio destaca a idade acima de 60 anos, raça negra, história familiar de glaucoma, diabetes, miopia, aumento da pressão intraocular (sendo este o mais importante), córnea fina, entre outros.

“O glaucoma, na maioria das vezes, não apresenta sintomas no início da doença, pois se trata de uma doença insidiosa lentamente progressiva, usualmente bilateral podendo ser assimétrica”, revela o especialista. “O campo visual só consegue pegar alterações quando temos perda de metade das células do nervo óptico”, completa.

Portanto, o exame oftalmológico anual completo deve ser realizado anualmente, pois quando o glaucoma é diagnosticado precocemente é possível retardar a evolução da doença, a fim de reduzir as chances de cegueira completa.

Exame eficaz

O OCT, equipamento de tomografia de coerência óptica, está disponível na Cemes e é um exame praticamente sem intercorrências. Isso porque é realizado com o paciente sentado, sem que o paciente fique deitado no tubo como na tomografia de crânio. Além disso, não é necessário contraste e nem o uso de radiação, sendo um exame complementar importante no diagnóstico do glaucoma, pois ele é capaz de identificar perdas estruturais no nervo óptico e mácula precedendo a perda de campo visual.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *