Ir ao banheiro frequentemente pode ser um sinal por trás de doenças

242

 

Dr. Carlos Frederico – Foto por Erika Medeiros

Um adulto saudável urina, em média, cerca de oito vezes ao dia. Este número, porém, pode variar dependendo de alguns fatores, como a quantidade de líquidos ingeridos e temperatura ambiente. Em dias mais quentes, normalmente se transpira mais, e por consequência a produção de urina tende a diminuir. O contrário é verdadeiro: dias frios tendem a reduzir a transpiração e aumentar as micções. Outro fator importante, conforme salienta o urologista Carlos Frederico Buloto Schmitd, é a quantidade de líquidos ingerida ao longo do dia.

Quando a micção excessiva acontece à noite, é chamada de noctúria. Segundo doutor Carlos, é considerado normal uma pessoa que urina até duas vezes após deitar-se e dormir.  Falando sobre a ida excessiva ao banheiro durante o dia, existe um quadro chamado Polaciúria, que está por trás de várias condições, principalmente o diabetes não controlado em adultos.

“Pacientes do sexo masculino com doenças da próstata, principalmente a hiperplasia prostática benigna, também podem apresentar a polaciúria como um dos sinais da doença. Pacientes com infecção urinária, além do aumento da frequência, podem ainda apresentar outros sintomas associados, como dor ao urinar”, revela o médico.
“Pacientes em uso de medicamentos, como diuréticos para tratar hipertensão, também apresentam aumento das micções”, expressa, acrescentando outras doenças menos frequentes que causam esse quadro, como cálculos em ureter distal ou na bexiga, além de doenças neurológicas como mal de Parkinson ou hiperatividade vesical.

De acordo com o especialista, a polaciúria por si só causa bastante incômodo ao paciente, mas não costuma causar danos ao organismo. Porém, o mais importante é detectar a causa do sinal relatado pelo paciente, como problemas na próstata ou infecções urinárias. “Muitas vezes o relato da polaciúria requer investigação para se chegar ao diagnóstico. É muito comum o urologista se deparar com pacientes com esta queixa e que não têm ainda diagnóstico de um diabetes, por exemplo, ou ainda se descobrir algum quadro neurológico”, conclui.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da causa da polaciúria se baseia em avaliar as queixas do paciente, o uso de medicamentos, exame físico e em um grande número de pacientes é necessário realizar exames complementares, como exames de sangue, urina e até de imagem. O tratamento, conforme explica doutor Carlos Frederico, se baseia em descobrir a causa da polaciúria e tratar a origem do problema, como diabetes, infecções urinárias entre outros problemas possíveis.

Em se tratando de homens, é importante ter uma avaliação cuidadosa da próstata, e caso seja detectada alguma alteração, tratar o paciente com medicamentos e até mesmo cirurgia. Vale frisar que a polaciúria pode ser um sinal de vários problemas e requer avaliação médica adequada.



Editora da revista Viver!, uma das mais importantes revistas de saúde do país. A publicação Sul capixaba circula mensalmente há mais de 17 anos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *