Mulheres, saibam como prevenir o surgimento de doenças ortopédicas

532

O ortopedista Rafael Moreira Mattos – Foto por Erika Medeiros

Cada dia mais as mulheres estão atentas a medidas preventivas no que diz respeito à saúde. E quando o assunto é saúde ortopédica, alguns cuidados são fundamentais para evitar problemas sérios no futuro. As principais doenças ortopédicas nas mulheres mais jovens, conforme explana o ortopedista Rafael Moreira Mattos, da clínica Ortotrauma, são as doenças relacionadas ao sedentarismo, como as dores lombares baixas, as relacionadas à sobrecarga funcional ou vícios de postura, como as tendinites dos punhos e ombros.

“Nas mulheres praticantes de atividade física de alta intensidade, são frequentes as tendinites dos quadris e joelhos, as fraturas por trauma, fraturas por stress mecânico e ‘canelite’”, destaca doutor Rafael. “Nas gestantes é comum o aparecimento de patologias como a tenossinovite de De Quervain e a síndrome do túnel do carpo, nos punhos, bem como as lombalgias mecânicas, decorrentes das alterações hormonais, retenção de líquido e mudança de marcha característica da gravidez”, ressalta.

Já nas mulheres de idade mais avançada, principalmente após a menopausa, o especialista revela que são comuns as doenças degenerativas como artrose dos joelhos, dos quadris e da base do polegar (rizartrose), dedo em gatilho e síndrome do túnel do carpo. Fraturas por osteoporose ao nível dos quadris e da coluna também são especialmente prevalentes em pacientes de idade mais avançada.

O médico alerta que a incidência de osteoporose e sua gravidade estão relacionados a hábitos de vida durante a juventude e a fatores hereditários. “Mulheres de pele mais clara, magras e mais baixas são mais afetadas. Uma dieta pobre em cálcio, sedentarismo, consumo de álcool e tabaco e a não exposição ao sol são fatores de risco para desenvolvimento da osteoporose, que devem ser combatidos para minimizar a severidade da osteoporose”, orienta.

A fim de manter a saúde ortopédica feminina em dia desde a juventude, algumas medidas são essenciais. “Como regra, atividade física desde a juventude associada a uma dieta balanceada, rica em cálcio e exposição ao sol são fatores protetores para a saúde dos ossos e articulações, assim como a redução do consumo de álcool e o controle do próprio peso são fatores de prevenção”, relata o ortopedista. Em casos de traumas, dores nas articulações ou outros sintomas, procure um ortopedista. O especialista também deve ser procurado na fase pré e pós-menopausa para diagnóstico e tratamento da osteoporose.



Editora da Revista Viver! - Jornalista há mais de 15 anos, atua também na área de Marketing Digital como social media.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *